Saturday, July 16, 2005


Wounded Bison and Man


How early is the symbol programmed into a child?
One wishes to draw what is there. One wishes to learn how to see.

Often I thought I wanted to see like a child again, without learned symbols to cloud my vision - Zen mind, beginner's mind, I'd repeat to myself - yet, even a child draws in symbols, so how can that be the proper direction?

How early does the symbol get embedded into the brain? Do we learn it as children? Are we being taught somehow, subreptitiously, from a line that goes back to ancient cave painters, or were ancient cave painters really artistic children and what we observe in children is simply that in a way (biologists, forgive me the abuse) "Ontogeny recapitulates phylogeny"? Does the artistic development of the individual recapitulate the artistic development of the species?...

Maybe all this is well known. Can any anthropologist in the room tell me this: If I draw the stick figure of a man, how many cultures will recognize it? Is it universal, or specific? Is it inscribed in our ancestral genes or is in an artifact of a few civilizations?

3 comments:

MaDi said...

Estava só à procura de uma publicidade do banco HBSC mas não encontro, que é exactamente sobre a culturalidade do símbolo.
Os símbolos dependem da cultura. Não acho que faça parte de algo geneticamente humano. Parte da aprendizagem. Um mesmo símbolo pode ser reconhecido de duas formas distintas em dois locais diferentes.
No entanto, a simbologia (ou simbologização) deve ser provavelmente algo totalmente humano.
Por isso a stick figure representando um ser humano, acho que é capaz de ser internacionalmente reconhecida. Pelo facto de termos aprendido a reconhecer a forma humana. Seja ela em pauzinhos ou em frutas como Arcimboldo fez.
No livro "Memórias de Nova Iorque e outros ensaios", João Lobo Antunes fala sobre o reconhecimento da forma humana pelo cérebro.
Recomendo-te.

OMWO said...

Obrigado MaDi :)

embora os simbolos sejam em geral dependentes da cultura especifica, a "stick figure" enche-me de duvidas, pela sua "naturalidade", pela forma como surge nas pinturas rupestres e nas mãos destreinadas das crianças. Tenho que ver se encontro algum seguidor do Piaget que tenha olhado para o assunto com cuidado :)

Penso que sei qual é a publicidade a que te referes, acho que a vi em Heathrow ha uns tempos. Nao era uma que mostrava os mesmos simbolos e opunha os significados de dois paises diferentes no mesmo painel ? Mas eram simbolos complexos, claramente arbitrarios...

O nosso cerebo visual tem estruturas destinadas ao reconhecimento directo de alguns padroes. Quem sabe se isso não funciona nos dois sentidos, levando-nos à representação dos mesmos de forma standard...

MaDi said...

Exacto, Omwo. Essa mesma, em Heathrow. Também em Gatwick.

É uma boa questão.